Review: Sobreviveu a Auschwitz: Liliana Segre, uma das últimas testemunhas de Shoah - Emanuela Zuccalá


Título: Sobreviveu a Auschwitz
Subtítulo: Liliana Segre, uma das últimas testemunhas de Shoah
Coleção: Superação
Titulo Original: Sopravvissuta ad Auschwitz
Autora: Emanuela Zuccalá
Tradutor: António Maia da Rocha
Gênero: Biografia
Faixa etária: -
Editora: Paulinas 
Ano: 2015
Edição: 1
Idioma: Português
Páginas: 232
Onde comprar: Editora Paulinas

Sinopse: Liliana Segre, nascida em Milão em 1930, é uma das últimas testemunhas da Shoah. De família judia não praticante, em fevereiro de 1944 foi deportada para o campo de extermínio de Auschwitz-Birkanau. No campo, perdeu o pai e os avós paternos.

Em janeiro de 1945, fez parte do "cortejo de fantasmas" que os nazistas obrigaram a caminhar de campo em campo, à noite, para escondê-los aos olhos do mundo: a marcha da morte. Libertada nos arredores de Ravensbrück, no dia 1o de maio de 1945, regressou a Milão quatro meses depois.

Um casamento feliz e o nascimento de três filhos restituíram-lhe o amor pela vida. O longo silêncio da sua adolescência como prisioneira interrompeu-se em 1990, quando decidiu tornar-se testemunha pública da Shoah, para que a memória da história fique alerta para o futuro.

Nesta obra, Liliana conta em detalhes o seu dia a dia no campo de concentração de Auschwitz, a sua percepção sobre os outros prisioneiros e prisioneiras, as perdas sofridas e o sofrimento pelo qual passou. Impressiona-nos a sua ausência de ódio, o seu amor à vida, a sua capacidade de perceber os sinais de vida mesmo em lugares de morte.

Contudo, neste livro há também o testemunho de como é alto o preço psicológico pago para conseguir superar tantos horrores e fazer deles objeto de testemunho. 

Este livro é uma cortesia da Editora Paulinas.

Não contém Spoiler.
"E naquela aventura especial eu era a heroína, uma garotinha que corria pela montanha de inverno, e a mão do meu pai representava tudo para mim." - página 42
Olá!

A sinopse desse livro já é bem detalha em relação ao que você irá encontrar. Não é aquelas sinopse que não dá visão do que está por vi ou enganadora. Isso é ótimo. O único ponto negativo é que vejo spolier nela. Para não ficar muito repetitivo eu decidir resumir em um paragrafo a história e partir direto para resenha. Então recomendo que antes de ler a resenha lê a sinopse acima.

Com uma das maior atrocidades causada na história humada durante a segunda guerra mundial, você irá conhecer a história de Liliane. Pelo simples fato de ser judia, ela e sua família começa a passar por eventos aterrorizante que vão se agravando rapidamente. Liliane e o pai tenta fugir para Suíça ilegalmente. Deportados e capturados, eles se torna prisioneiros da polícia nazista, assim começa  a jornada medonha nos campos de concentração.
"Deixei para sempre a sua mão e nunca mais o vi, mas naquele momento não sabia disso." - página 61
A incerteza do amanhã é apenas um dos horrores da guerra. Ela é capaz de levar tudo que você tem. Sobreviveu a Auschwitz vemos como o homem pode ser manipulado e muitas vezes prefere fingir que não está vendo o que acontece ao seu redor do que tomar uma simples atitude. Vemos a crueldade que uma pessoa é capaz de cometer. Conhecemos melhor a história da segunda guerra mundia. Há também referencia de outras obras.

O foco é a memória de Liliana, sua visão da história. Conta as pavorosas situações que passou, mas também com ela se fortaleceu para seguir a diante. Como teve coragem de ser uma testemunha, apesar da dor que sente todas as vezes que lembra pelo o que passou e das pessoas que perdeu por essa astrosidade. Não conhecemos apenas o período dela na guerra, mas também o que aconteceu depois. Também relatos de suas palestra, há um impressionante que não vou dizer para você mesmo conferir.
Eu só desejava tratar das feridas e ser amada sem restrições; em vez disso, eu sentia-me continuamente julgada. - página 174
Recomendo esse livro porque, ao ler o livro você tem uma visão da história do lado de dentro. Pelos olhos de uma sobrevivente. E não uma visão livro didático de uma escola. É conta sobre o passado e o presente, de forma natural e nada fica confuso ou com pontas soltas. É uma história impressionante. Vale apena ler! Em relação a gráfica, tudo ok. Não apenas a história está interessante, mas a apresentação e a introdução do livro.
"A memória não é só uma acumulação de dados, porque temos emoções, sentimentos e instintos. Os nossos processos de conhecimento não são apenas racionais. A memória não é um objeto, é algo palpitante. E agora ouçam este testemunho, é para vocês. Talvez não percebam tudo o que ela vai dizer, mas com toda certeza permanecerá agindo em vocês." - página 24

2 comentários:

  1. Esse livro eu não conheço mas certamente é daqueles que a gente lê com a voz, chorando, rs.

    Um dos momentos mais horríveis da humanidade cuja memória lamentavelmente parece estar se apagando dada o avanço da xenofobia e da extrema direita. Que essa memória nuca se apague!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rob Camilotti!
      Sim, é um livro com uma história emocionante!
      Beijos'

      Excluir